Related »

Cerca de 300 animais silvestres já foram resgatados em MT neste ano

on junho 30 | em Fauna na Mídia, FIQUE POR DENTRO | by | with No Comments

Filhote de onça-parda ganhou o nome de Gabi (Foto: Reprodução/TVCA)

Filhote de onça-parda ganhou o nome de Gabi (Foto: Reprodução/TVCA)

Entre esses animais estão aves, macacos, felinos, serpentes e tartarugas.
Desses, 96 já foram devolvidos à natureza e 160 permanecem na unidade.

De janeiro a março deste ano, 300 animais silvestres, entre aves, macacos, tartarugas, serpentes e felinos, foram resgatados em todo o estado e acolhidos pelo Centro de Triagem da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema), localizado em Várzea Grande, na região metropolitana de Cuiabá. Deste número, 96 foram devolvidos à natureza e outros 160 ainda permanecem na unidade.

Os resgates foram feitos pelo Batalhão de Polícia Militar de Proteção Ambiental. Os animais são recolhidos após atropelamentos, maus-tratos ou abandono. No ano passado, foram 729 animais acolhidos, sendo que 583 puderam ser devolvidos para a natureza após recuperação.

De acordo com o sargento da PM Joelson de Paula, que é gerente de Fauna da Sema, animais de todo o estado são recebidos pelo Centro de Triagem e a movimentação diária é de cerca de 8 ou 10 animais, que entram ou saem da unidade.

O sargento explicou que o ideal é que os animais sejam devolvidos à natureza, mas que nem sempre isso é possível.

“O animal é levado para nosso Centro de Triagem e passa por alguns exames preliminares para verificar se ele está com alguma lesão. Se ele estiver, ele é encaminhado para o Hospital Veterinário da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) ou do Centro Universitário de Cuiabá (Unic). Em alguns outros casos, de animais que não têm mais condições de viver em seu habitat, nós o mantemos no centro”, argumentou.

Manter animais silvestres em casa sem autorização legal pode render detenção, de seis meses a um ano, e multa. O crime, porém, pode ser perdoado pela Justiça caso o animal seja entregue voluntariamente às autoridades, comentou o PM.

Joelson explicou que nesses casos existe a dificuldade de liberar o animal de volta para seu habitat. Em grande parte dos casos, totalmente domesticados, eles não conseguem mais se manter por conta própria na natureza, pois já se acostumaram até com o horário de receber a alimentação.

O gerente diz ainda que grande parte das espécies que chegam até o centro foram vítimas de contrabando. Além disso, outra parte considerável dos animais sofreram algum atropelamento ou outro tipo de acidente nas estradas.

A maior parte dos animais que estão em Várzea Grande são aves e, de acordo com o PM, elas são as que mais sofrem com a violência deliberada. “Quando falamos de pássaros, eu diria que 70% deles que chegam com sinais de violência foram vítimas de maus-tratos. Isso é muito claro quando nós vemos um animal que teve a asa cortada, por exemplo. De 14 falcões que abrigamos atualmente, só quatro conseguem voar normalmente”, relatou.

Um dos recursos para encontrar abrigo para esses animais é a guarda. O instrumento é previsto na Constituição e tem caráter provisório. Nesse caso, o animal silvestre é entregue para uma pessoa que se candidata a receber o animal que, na maioria das vezes, não pode retornar à natureza. O candidato deve preencher a diversos formulários e ainda poderá ter a residência vistoriada para comprovar se tem condições de receber o animal.

A Sema recomenda que quem presenciar atropelamentos ou outras situações que envolvam animais silvestres em risco deve ligar para a Polícia Militar.

Cobra foi encontrada em eixo de caminhão em cidade de Mato Grosso (Foto: (Foto: Portal Sorriso MT))

Cobra foi encontrada em eixo de caminhão em cidade de Mato Grosso (Foto: (Foto: Portal Sorriso MT))

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Resgates
Entre os casos de resgate estão o de uma onça-pintada que era criada como gato doméstico por uma família de Marcelândia, a 712 km de Cuiabá. O animal foi tratado por quase um mês e depois foi entregue para o Batalhão da Polícia Ambiental.

Na segunda-feira (27) uma cobra foi retirada pelo Corpo de Bombeiros do eixo de um caminhão no pátio de uma empresa em Sorriso, a 420 km de Cuiabá. Segundo a corporação a serpente era uma jiboia e tinha quase dois metros. Como os outros animais, ela foi encaminhada para o Centro de Triagem de Várzea Grande.

 

Fonte: http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2016/06/cerca-de-300-animais-silvestres-ja-foram-resgatados-em-mt-neste-ano.html

Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

FACEBOOK

APOIADORES

Avina

CRT

Itapemirim

Juniclair

Wise
Scroll to top