Related »

Diário de S. Paulo – Tráfico de animais usa a internet

on April 10 | in FIQUE POR DENTRO, Renctas na Mídia | by | with No Comments

DIMAS MARQUES

Sites brasileiros e estrangeiros viram porta principal do comércio ilegal de animais em extinção, devido à chance do anonimato e da fuga do flagrante

O tráfico internacional de fauna silvestre encontrou na internet um grande aliado. Sites que funcionam como intermediários desse comércio são facilmente achados e oferecem animais brasileiros como preciosidades. A ONG Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres (Renctas) contabilizou 4.892 anúncios que oferecem espécies nacionais em home pages brasileiras e estrangeiras.

O levantamento da Renctas foi realizado em 1999. “Essa é a única pesquisa sobre tráfico na Internet feita no Brasil”, afirmou o coordenador geral da ONG, Dener Giovanini. No Brasil, o tráfico da fauna silvestre movimenta US$ 900 milhões por ano, o que representa cerca de 15% do total mundial. Essa atividade perde apenas para a venda de drogas e armas. O comércio eletrônico de animais foi denunciado pela entidade está sendo investigado pela Polícia Federal.

Segundo Dener, as home pages de leilões são os principais meios usados pelos traficantes que atuam pela Internet. “Os sites auxiliam na manutenção do anonimato”, explicou. Para combater esse comércio, a Renctas está agrupando parlamentares para a elaboração de um projeto de lei que altere a legislação. “Ainda não temos leis específicas nesse campo”, salientou Dener.

O chefe da fiscalização do Ibama em São Paulo, Luís Antonio de Lima, disse que nunca foram presos traficantes que utilizam a Internet.

“Um setor do Ibama em Brasília acompanha essa atividade e nos informa quando detecta algo”, disse. Ele explicou que os traficantes da Internet são intermediários no comércio e, por não terem estoques, fica difícil caracterizar o crime.

Pin It

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

« »

Scroll to top