Related »

Equipes de controle da raiva vistoriam abrigos de morcegos no interior de SP

on fevereiro 2 | em Fauna na Mídia, FIQUE POR DENTRO | by | with No Comments

Inspeção tem como foco espécie que se alimenta de sangue.
Município de Narandiba registrou caso positivo da doença em bovino.

01/02/2016 – 19h59
Do G1 – Presidente Prudente

 

Morcego do tipo Desmodus rotundus é alvo da inspeção da Defesa Agropecuária. Foto: Douglas Marques/ Arquivo Pessoal

Morcego do tipo Desmodus rotundus é alvo da inspeção da Defesa Agropecuária.
Foto: Douglas Marques/ Arquivo Pessoal

 

Equipes de controle da raiva dos herbívoros da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, mantidas por meio da Coordenadoria de Defesa Agropecuária, realizam nesta semana a inspeção dos abrigos de morcegos Desmodus rotundus, espécie que se alimenta de sangue, na região de Presidente Prudente.

Foram mobilizados 25 técnicos agrícolas da Coordenadoria de Defesa Agropecuária para o desenvolvimento dos trabalhos – que também englobam as regiões de Bragança Paulista, Pindamonhangaba e Piracicaba – de inspecionar os abrigos já cadastrados e, com a ajuda dos produtores locais, localizarem possíveis novos abrigos.

Devido à ocorrência de um bovino positivo no município de Narandiba, na região do Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) de Presidente Prudente, uma equipe realizará o atendimento no perifoco, buscando identificar algum possível abrigo. Essa equipe vistoriará também os 38 abrigos cadastrados na região.

O médico veterinário da secretaria, Paulo Antonio Fadil, que, junto à Defesa Agropecuária, responde pelo Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros, explicou que o foco de Narandiba tem uma característica singular, devido à ocorrência ter sido as margens do Rio Paranapanema, podendo o abrigo estar localizado no Estado vizinho do Paraná. Neste caso, a equipe realiza o que se denomina captura noturna na fonte de alimentação, uma vez que não se localiza o abrigo.

“O Estado do Paraná já foi comunicado da ocorrência pela Defesa Agropecuária por meio do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento [Mapa]. Tal procedimento entre estados vizinhos é de suma importância para o controle da doença, uma vez que se sabe que o morcego hematófago realiza voos a longas distâncias”, disse Fadil.

O controle populacional do Desmodus rotundus, realizado pelo serviço oficial de defesa, é um método que dever ser utilizado apenas por pessoal habilitado e imunizado, devido à necessidade de conhecimento para a identificação dos morcegos capturados e ao alto risco de contrair a doença por quem os manipule.

Durante as inspeções, encontrando colônias de morcegos hematófagos, é feito o controle da população e a orientação dos produtores rurais sobre o controle da doença, o uso da pasta vampiricida nos locais das mordeduras por morcegos, a vacinação em regiões de risco e a não manipulação dos morcegos.

Controle

Os morcegos hematófagos são transmissores da raiva, uma zoonose grave e letal para os animais e seres humanos. Por isso, seu controle populacional é de extrema importância. No meio rural, os animais comumente afetados são os bovinos e equídeos, mas todos os mamíferos são suscetíveis. Quando doentes, os animais apresentam sinais neurológicos, sendo que os mais comuns são a paralisia dos membros, a agressividade e a salivação.

A vacinação contra a raiva não é obrigatória no Estado de São Paulo.

É recomendada nas regiões onde existe ocorrência endêmica da doença e onde o relevo favorece a existência dos abrigos para os morcegos hematófagos. Eles geralmente se abrigam em tocas, grutas, bueiros, túneis, minas, casas abandonadas e ocos de árvores. O produtor, tendo conhecimento desses abrigos, deve entrar em contato com uma unidade oficial de defesa agropecuária para informar.

 

CLIQUE AQUI  para notícia original.

 

Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

FACEBOOK

APOIADORES

Avina

CRT

Itapemirim

Juniclair

Wise
Scroll to top