Related »

Febre amarela já matou 162 pessoas em Minas Gerais neste ano

on agosto 24 | em Fauna na Mídia, FIQUE POR DENTRO | by | with No Comments

Macaco-prego, uma das principais vítimas do surto de febre amarela.

Macaco-prego, uma das principais vítimas do surto de febre amarela.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Dados da Secretaria de Estado de Saúde (SES) mostram que o maior surto da doença registrado desde 1980 é ainda mais grave. Já são 1.696 notificações da enfermidade

Novo boletim epidemiológico da febre amarela revela um impacto ainda maior do surto da doença registrado neste ano que já era tratado como pior desde 1980. De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG) até essa segunda-feira foram registradas 1.696 notificações da enfermidade. Destes, 475 casos foram confirmados. Alta também pode ser vista no número de mortes. Foram 162 óbitos confirmados por febre amarela.

O surto da doença perdeu força ao longo dos meses. De acordo com a SES, o grande número de notificações de febre amarela aconteceu em janeiro, entre dos dias 8 de 21. A partir da semana seis, que corresponde a 5 a 11 de fevereiro, houve uma redução significativa no número de notificações. O último caso confirmado neste ano, o paciente começou a sentir os sintomas em 9 de junho.

O novo boletim foi divulgado nesta terça-feira depois que mortes de macacos pela doença foram confirmadas em Além Paraíba, na Região da Zona da Mata, na última semana. O último balanço tinha sido divulgado em 26 de junho. De lá, para cá, houve um aumento de 47,8% nas notificações, 6,5% nos casos confirmados. Já em relação as mortes, a alta foi de 8,1% nas notificações, e de 1,8% nos óbitos confirmados.
Segundo a SES, o aumento das notificações em relação ao último balanço é devido aos esforços da pasta na consolidação dos dados. “Os casos se concentram-se principalmente no mês de janeiro, sendo que esse aumento não representa transmissão ou aumento de notificação no momento atual. Também cabe reforçar que em situações de surto, há um aumento na sensibilidade da vigilância o que pode acarretar em aumento das notificações, sendo que após a investigação os casos são descartados”, afirmou.

Os dados mostram que Ladainha, na Região do Vale do Mucuri, foi a cidade que mais sofreu com a doença. Foram confirmados 57 casos de febre amarela e 21 mortes. Novo Cruzeiro, na mesma região, tem 39 casos e 13 mortes. Itambacuri, são 21 pessoas infectadas e outros 14 mortes em decorrência da enfermidade. E Teófilo Otoni, foram 18 casos e outras 13 mortes.

A doença se espalhou por Minas Gerais. De acordo com a SES, dos 853 municípios mineiros, há a suspeita de casos em 214, o que corresponde a 25% do estado. Já em 72 cidades foram confirmados casos da doença, o que corresponde a 8,4% do território mineiro.

Mortes de macacos

Na última semana, moradores de Além Paraíba voltaram a ligar o alerta contra a doença. Seis macacos foram encontrados mortos no município, sendo que em dois exames realizados na Fundação Ezequiel Dias (Funed) confirmaram a febre amarela. Por causa disso, a vacinação foi intensificada no município e realizado mutirão em alguns bairros. No último sábado, um posto foi aberto no Centro da cidade para receber a população que ainda não tinha se imunizado.

As mortes de macacos, que mostram a circulação do vírus, foram confirmadas em 142 municípios. Em outros 165, primatas mortos foram recolhidos para passar por exames. Esses casos continuam sendo investigados. Também há rumores em outras 182 cidades.

Fonte: http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2017/08/22/interna_gerais,894037/febre-amarela-ja-matou-162-pessoas-em-minas-gerais-neste-ano.shtml

Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

FACEBOOK

APOIADORES

Avina

CRT

Itapemirim

Juniclair

Wise
Scroll to top