Related »

IMA divulga relatório sobre animais silvestres ameaçados no estado de Alagoas

on agosto 7 | em Fauna na Mídia, FIQUE POR DENTRO | by | with No Comments

Macaco-prego-galego

Macaco-prego-galego

O Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA-AL), embasado na Lista Nacional Oficial de Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção do Ministério do Meio Ambiente (MMA), e na Lista Vermelha da União Internacional para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), elaborou um relatório informativo dos animais silvestres ameaçados no Estado.

A Lista Nacional Oficial das Espécies da Fauna Ameaçadas de Extinção, presente na portaria nº 444, de 17 de dezembro de 2014, reúne mamíferos, aves, répteis e anfíbios invertebrados terrestres, e indica o grau de extinção de cada espécie. Todos os animais presentes na lista ficam protegidos de modo integral. A captura, transporte, armazenamento, guarda e manejo de exemplares só são permitidos para fins de pesquisa ou para conservação da espécie, mediante autorização do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.

Já a Lista Vermelha da IUCN, avalia os riscos de extinção de milhares de espécies e subespécies, e engloba todas as regiões do mundo, com o objetivo de informar sobre a urgência das medidas de conservação para o público e legisladores, o que auxilia na tentativa de reduzir as extinções.

A caça, perseguição, apanhado, assassinato e utilização de espécimes da fauna silvestre, nativos ou em rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização do órgão ambiental competente são consideradas práticas de crimes contra a fauna. Estes crimes estão presentes na lei 9.605 de 12 de fevereiro de 1998, podendo resultar na detenção de seis meses a um ano do infrator, e multa de R$ 5 mil por indivíduo em caso de espécies ameaçadas.

A seguir, uma lista com animais silvestres ameaçados no estado de Alagoas, de acordo com relatório do IMA-AL:

 

 

 

 

Nome vulgar: Macaco-prego-galego

Nome científico: Sapajus flavius

Ocorrência: Rio Grande do Norte, Pernambuco, Paraíba e Alagoas

Classificação: Em Perigo (EN) pelos critérios nacionais da portaria 44 e criticamente em perigo pelos critérios internacionais da IUCN.

Nome vulgar: Gato-do-mato

Nome científico: Leopardus tigrinus

Ocorrência: Mata Atlântica, Amazônia e àreas secas da Caatinga nordestina

Classificação:  Em Perigo (EN) pelos critérios nacionais da portaria 444 e Vulnerável (VU) pelos critérios internacionais da IUCN.

Nome vulgar: Gato-mourisco

Nome científico: Puma yagouarondi

Ocorrência: os indivíduos de coloração mais escuras são associados à florestas, enquanto os mais claros encontrados em ambientes mais secos

Classificação: Vulnerável pelos critérios nacionais  e “Pouco Preocupante” pelos critérios internacionais.

 Nome vulgar: Onça-parda

Nome científico: Puma concolor

Ocorrência: todos os biomas do Brasil

Classificação: Vulnerável pelos critérios nacionais e quase ameaçada pelos critérios internacionais.

Nome vulgar: Cuandu-mirim

Nome científico: Coendou speratus

Ocorrência: Mata Atlântica de Pernambuco e em Alagoas

Classificação: Em Perigo (EN) pelos critérios nacionais.

Nome vulgar: Pintor-verdadeiro

Nome científico: Tangara fastuosa

Ocorrência: Pernambuco, Alagoas e Paraíba, com alguns relatos em Sergipe e Rio Grande do Norte

Classificação: Em Perigo (EN) pelos critérios nacionais e vulnerável (VU) pelos critérios internacionais.

Nome vulgar: Pintassilgo do nordeste

Nome científico: Sporagra yarrellii

Ocorrência: Nordeste

Classificação:  Vulnerável nos critérios nacionais e internacionais.

 Nome vulgar: Mutum-de-alagoas

Nome científico: Pauxi mitu

Ocorrência: Rio Grande do Norte e Alagoas

Classificação: Extinto, pelos critérios nacionais e internacionais.

Nome vulgar: Papagaio-chauá

Nome científico: Amazona rhodocorytha

Ocorrência: De Alagoas ao Rio de Janeiro

Classificação: Vulnerável (VU) nos critérios nacionais.

Nome vulgar: Peixe-boi-marinho

Nome científico: Trichechus manatus

Ocorrência: Nordeste

Classificação: Em Perigo (EN), pelos critérios nacionais e Vulnerável, segundo critérios internacionais.

Nome vulgar: Tartaruga-cabeçuda

Nome científico: Caretta caretta

Ocorrência: mares tropicais e subtropicais de todo mundo e também em águas temperadas

Classificação: Em perigo, nos critérios nacionais e internacionais.

Nome vulgar: Tartaruga-verde

Nome científico: Chelonia mydas

Ocorrência: Mares tropicais e subtropicais, águas temperadas, águas costeiras e ao redor das ilhas.

Classificação:  Vulnerável, segundo critérios nacionais e Ameaçada segundo os critérios internacionais.

Nome vulgar: Tartaruga-de-pente

Nome científico: Eretmochelys imbricata

Ocorrência: Mares tropicais e por vezes sub-tropicais dos oceanos Atlântico, índico e Pacífico

Classificação: Criticamente ameaçada nos critérios nacionais e internacionais.

Nome vulgar: Tartaruga-oliva

Nome científico: Lepdochelys olivácea

Ocorrência: Mares tropicais e subtropicais, oceanos Pacífico e Índico, e oceano Atlântico, na América do Sul e costa oeste da África

Classificação: Em perigo de extinção nos critérios nacionais e Vulnerável nos critérios internacionais.

Nome vulgar: Jararacuçu de murici

Nome científico: Bothrops muriciensis

Ocorrência: Alagoas, na região do município de Murici

Classificação: Em perigo de extinção pelos critérios nacionais.

Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

FACEBOOK

APOIADORES

Avina

CRT

Itapemirim

Juniclair

Wise
Scroll to top