Related »

Onça-pintada é encontrada morta em rodovia de MT

on junho 24 | em Fauna na Mídia, FIQUE POR DENTRO | by | with No Comments

Corpo do animal foi doado para a UFMT, em Sinop, para pesquisas.
Motorista que atropelou o animal ainda não identificado.

24/06/2016 – 17h23
Do G1 – MT

 

Onça-pintada foi achada morta na BR-163, em Sinop. Foto: Reprodução/ TVCA

Onça-pintada foi achada morta na BR-163, em Sinop.
Foto: Reprodução/ TVCA

 

Corpo do animal foi doado para o campus da UFMT do município para pesquisas. Foto: Reprodução/ TVCA

Corpo do animal foi doado para o campus da UFMT do município para pesquisas.
Foto: Reprodução/ TVCA

 

Uma onça-pintada morreu nesta quinta-feira (23) após ser atropelada na BR-163, em Sinop, a 503 km de Cuiabá. O motorista do veículo que atropelou o animal não foi identificado e a carcaça do mamífero foi encaminhada para o campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) de Sinop, onde será usado para estudos.

O acidente aconteceu por volta de 7h nas imediações do km 873 da rodovia. O corpo do animal foi resgatado pela concessionária Rota do Oeste e foi entregue para UFMT devido uma parceria entre os órgãos e a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema).

A onça era um macho jovem. Pesava quase 90 kg e tinha um metro e 20 centímetros, sem contar a cauda.

De acordo com Lorena Cardoso Rezende, professora de anatomia animal da UFMT, todo o corpo do animal será aproveitado pelos alunos e professores.

“Cada sistema, cada região a gente estuda. Então vários trabalhos de graduação, pós graduação, trabalhos científicos irão utilizar (o cadáver do animal) no decorrer de vários anos. Um pesquisador só não consegue esgotar todo o animal”, explicou.

A pesquisadora argumentou que os restos mortais do animal poderão ser utilizados inclusive por acadêmicos de outras universidades. Ela comentou que não é raro a chegada de animais encontrados nas rodovias, estando eles vivos ou mortos.

“Quando o animal está vivo eles trazem e o Hospital Veterinário o recebe. Ele é tratado e se vier a óbito mesmo após o tratamento, porque geralmente são casos graves, de colisões grandes, aí é encaminhado para nós (da anatomia)”, disse.

Ainda de acordo com Lorena, todas os indícios das lesões presentes no corpo da onça apontam mesmo para um atropelamento. “Após a abertura do animal, nós constatamos hematomas graves na região da coxa, na região dorsal e uma fratura no crânio. Então, provavelmente, foi uma colisão severa”, comentou.

Mortes

Uma pesquisa feita por alunos do curso de engenharia florestal no Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) apontou que 617 animais foram mortos nas BRs 174 e 070 entre fevereiro de 2015 e fevereiro de 2016.

Entre as espécies mais encontradas estão o tatu-peba (110), capivara (91), lobetes (84), tatu-galinha (81) e jacaré (31).

A pesquisa também apontou um grande número de mortes de animais ameaçados de extinção como tamanduás-bandeiras,tatus-bola, ariranhas e antas.

 

CLIQUE AQUI   para notícia original.

 

Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

FACEBOOK

APOIADORES

Avina

CRT

Itapemirim

Juniclair

Wise
Scroll to top