Related »

Presença de animais silvestres em área urbana preocupa IEF

on junho 28 | em Fauna na Mídia, FIQUE POR DENTRO | by | with No Comments

André Quagliatto disse que número capturas é expressivo (Foto: Cleiton Borges)

André Quagliatto disse que número capturas é expressivo (Foto: Cleiton Borges)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A presença de animais silvestres na zona urbana e até mesmo próximo de propriedades rurais em Uberlândia, devido a destruição dos ecossistemas naturais das espécies, tem gerado preocupação ao Instituto Estadual de Floresta (IEF). Por isso, o órgão intensificou, nos últimos anos, ações de orientação aos produtores rurais, com explicações sobre a melhor maneira de lidar pacificamente com estes animais. O último caso registrado foi de uma onça-suçuarana encontrada, no sábado (25), próximo ao distrito de Cruzeiro dos Peixotos.

A suçuarana, conhecida também como onça-parda, foi resgatada pela Polícia Militar de Meio Ambiente em uma propriedade rural particular. O animal apresentava estado de desnutrição, tinha sarna, dificuldade para andar e diversos ferimentos que podem ser provenientes de agressões ou atropelamento. O animal está internado no Laboratório de Pesquisa em Animais Silvestres da Universidade Federal de Uberlândia (Lapas-UFU), sem previsão de ser solto no habitat natural.

Para a coordenadora de proteção à fauna do IEF, Mariceia Pádua, o contato humano com esse tipo de espécie é o que mais exige trabalhos específicos de orientação por parte do órgão, pois ainda há muito desconhecimento e mitos sobre suas características. “O trabalho do IEF tem o objetivo de eliminar o conflito entre produtor e animal, com benefícios para ambos”, afirmou.

As orientações vão desde características biológicas da fauna até explicações sobre a melhor forma de abrigar os próprios animais domésticos e protegê-los de ataques. “Mostramos que a onça só vai onde consegue alimento com mais facilidade. Já fomos em propriedades com uma série de atrativo para ela, como galinhas e porcos soltos”, disse Mariceia Pádua.

Espécies

Das espécies de onças, a suçuarana é considerada a mais comum na região, que também conta com exemplares de jaguatiricas. Casos raros de onças-pintadas também já foram registrados.

Capacidade do Hospital Veterinário está quase no limite

O Laboratório de Pesquisa em Animais Silvestres da UFU (Lapas-UFU) atendeu, nos últimos dois anos, mais de 2 mil animais silvestres feridos. O número é considerado expressivo pelo diretor do núcleo, André Quagliatto. Para ele, a estatística é um sinal das inúmeras dificuldades de convivência entre os animais e os seres humanos.

Atualmente, a unidade presta atendimento a 150 exemplares selvagens. Desses, 50 são mamíferos, que incluem lobo-guará, tamanduá-bandeira e outras espécies ameaçadas de extinção. Há animais atropelados, com ferimentos de caça e outros machucados. O número de internações já é considerado próximo ao limite da capacidade da unidade. “Apesar de serem ameaçados de extinção e não conseguirem se defender na natureza, fica cada vez mais difícil recebê-los”, afirmou Quagliatto.

Polícia Militar não orienta o manejo dos animais

O sargento Eduardo Venâncio, da Polícia Militar de Meio Ambiente, disse que é necessário ter grande cuidado com o manejo e contato com qualquer animal silvestre. O militar também orienta que qualquer ocorrência do tipo seja reportada ao órgão, por meio do telefone 3257-6400. “Também é importante lembrar que matar animais da fauna silvestre é crime ambiental, com multa e detenção de seis meses a um ano”, afirmou.

Fonte: http://www.correiodeuberlandia.com.br/cidade-e-regiao/presenca-de-animais-silvestres-em-area-urbana-preocupa-ief/

Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

FACEBOOK

APOIADORES

Avina

CRT

Itapemirim

Juniclair

Wise
Scroll to top