Related »

Temendo a caça, parque nacional realoca rinocerontes na África do Sul

on outubro 19 | em Fauna na Mídia, FIQUE POR DENTRO | by | with No Comments

Caçadores retiram os chifres e abandonam as carcaças
Ao menos 4 rinocerontes-brancos foram levados para áreas mais seguras.

18/10/2014 18h19
Do – G1, em São Paulo

Animal é puxado após ter o rosto coberto para reduzir o estresse durante operação de realocação no Parque Nacional de Kruger, na África do Sul. Foto: Stefan Heunis/AFP

Animal é puxado após ter o rosto coberto para reduzir o estresse durante operação de realocação no Parque Nacional de Kruger, na África do Sul.
Foto: Stefan Heunis/AFP

Várias pessoas são necessárias para realocar rinocerontes no Parque Nacionald e Kruger. Foto: Stefan Heunis/AFP

Várias pessoas são necessárias para realocar rinocerontes no Parque Nacionald e Kruger.
Foto: Stefan Heunis/AFP

Após capturado, rinoceronte é conduzido para dentro de um contêiner. Foto: Stefan Heunis/AFP

Após capturado, rinoceronte é conduzido para dentro de um contêiner.
Foto: Stefan Heunis/AFP

Contêiner é erguido até a traseira de um caminhão para o transporte do rinoceronte a ser realocado no parque. Foto: Stefan Heunis/AFP

Contêiner é erguido até a traseira de um caminhão para o transporte do rinoceronte a ser realocado no parque.
Foto: Stefan Heunis/AFP

O Parque Nacional de Kruger, na África do Sul, está realizando trabalhosas operações de captura e realocação de rinocerontes que estão vivendo em áreas onde tem sido praticada a caça ilegal da espécie.

Nos últimos meses, agências internacionais mostraram casos em que caçadores mataram os animais, arrancaram seus chifres e abandonaram suas carcaças para trás.

A caça ilegal de rinocerontes provocou a morte de 13 animais em 2007, mas o número disparou a 1.004 no ano passado, apesar da mobilização de soldados na vasta reserva natural, que tem espaço equivalente ao território de Israel.

A população no Kruger tem entre 8.400 e 9.600 rinocerontes, segundo uma contagem de 2013.Os chifres dos animais são vendidos com preços muito elevados no mercado negro da medicina asiática, que atribui diversas qualidades ao material, nunca demonstradas cientificamente.

Nesta semana, pelo menos quatro rinocerontes-brancos foram capturados e levados para outras reservas do país ou do exterior. O gerente de operações e o veterinário-chefe da instituição, Marius Kruger e Marcus Hofmyer, participaram das operações.

Fotos feitas nesta sexta-feira (17) mostram como as realocações são feitas.

CLIQUE AQUI para notícia original.

Pin It

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

FACEBOOK

APOIADORES

Avina

CRT

Itapemirim

Juniclair

Wise
Scroll to top