Aeroporto expõe cenas do tráfico de animais silvestres

Aeroporto expõe cenas do tráfico de animais silvestres

De cada dez animais silvestres que são retirados do seu habitat natural, apenas um consegue chegar vivo ao consumidor final. A denúncia foi feita nesta segunda (12) pelo coordenador coordenador geral da Renctas (Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres), Dener Giovanini, na abertura da exposição “Humano e Selvagem: o Limite da Distância”, que acontece no terminal de desembarque internacional no Aeroporto de Guarulhos.

O site oficial da Renctas traz dados, vídeos e denúncios sobre tráfico de animais silvestresFot João Machado em todo o país.

A mostra, que já passou por aeroportos do Rio de Janeiro, Minas Gerais e Amazonas, deverá acabar em janeiro do ano que vem. O objetivo é denunciar, por meio de vídeos, a prática do tráfico de animais no país e conscientizar a população para que evite a compra clandestina de qualquer espécie.

Estão na lista animais como o mico-leão-dourado, iguanas, tucanos. “As pessoas ainda têm a cultura da gaiola, mas precisam parar com isso”, disse Giovanini.

Em Guarulhos, segundo o advogado da ONG Tribuna Animal, Rogério Gonçalves, é na região dos Pimentas que circula a venda clandestina de animais. “Pelos menos dez são vendidos por semana”, disse.

Deixe uma resposta