Documentário O bicho dá. O bicho toma.

An unfocused and developerless photo of the history of a country called Brazil. This is journalist Beatriz Thielman’s definition for the production ‘O bicho dá. O bicho toma’, directed by her and produced by Guapuruvu Films in a partnership with Renctas – a two-year production (one year filming in Amazonas, Pará, Bahia, Pernambuco and Rio de Janeiro states) that resulted in hundreds of hours of astonishing testimonies and images of the Brazilian fauna. Expected to come out on May/2005, the 1:30 hour-documentary will be released in the Country’s main theaters. Showing the reality of animal trafficking by focusing the human being was a great challenge for the production team. “We didn’t want to show police operations or animal seizures, our primary goal was to understand the way the protagonists of such history face their activity” said Tânia Leite, the executive-producer. With an agile and sensitive narrative, the documentary stresses intimate moments of traffickers, their families and their relation with the animals. With musical direction by André Morais (Meu Tio Matou um Cara and Lisbela e o Prisioneiro) the soundtrack guides the audience through the contradictions and passions shown in the screen. Produced with the support of Eletrobrás, BNDES, Telemar, Banco da Amazônia and Infraero, the documentary will shed light on an old way of nature degradation.

Partners:

Guapuruvu Filmes

Sponsored by :

01-eletrobras  02-logo-brasil-03    03-bndes-final  04-Telemar-final-00  05-banco-da-amazonia-final  06-infraero-final-00  07-logo-ancine-incentivo01  10-logo-ancine-audiovisual00  08-logo-estado-rio  09-logo-secretaria01Uma fotografia desfocada e sem reagente da história de um país chamado Brasil”. Essa é a definição da jornalista Beatriz Thielmann para o documentário O bicho dá. O bicho toma, dirigido por ela e produzido pela Guapuruvu Filmes em parceria com a Renctas. Dois anos de filmagem – um ano só de gravações em locações na Amazônia, Pará, Bahia, Pernambuco e Rio de Janeiro – resultaram em centenas de horas de depoimentos e imagens surpreendentes da fauna brasileira. Com estréia prevista para o mês de maio, o documentário, que tem uma hora e trinta minutos de duração, poderá ser assistido nas principais salas de cinemas do país. Mostrar a realidade do tráfico de animais através do foco no ser humano, foi um grande desafio para a equipe de produção. “Não queríamos mostrar operações policiais ou apreensão de animais, a nossa motivação era entender o pensamento dos protagonistas dessa história”, afirmou Tânia Leite, produtora executiva do filme. Com narrativa ágil e ao mesmo tempo sensível, o documentário chama a atenção ao registrar momentos da intimidade dos traficantes, suas famílias e sua relação com os animais. A trilha sonora, que teve a direção do músico André Morais, autor de sucessos como Meu Tio Matou um Cara e Lisbela e o Prisioneiro, emociona e conduz o espectador pelas contradições e paixões mostradas na tela. Produzido com o apoio da Eletrobrás, BNDES, Telemar, Banco da Amazônia e Infraero, o filme promete lançar luz sobre uma antiga forma de destruição da natureza.

Parceiros:

Guapuruvu Filmes

Patrocínio:

01-eletrobras  02-logo-brasil-03    03-bndes-final  04-Telemar-final-00  05-banco-da-amazonia-final  06-infraero-final-00  07-logo-ancine-incentivo01  10-logo-ancine-audiovisual00  08-logo-estado-rio  09-logo-secretaria01

Deixe uma resposta